Dance to save the world

     

  Em ritmo de final de semana prolongado muita gente terminou seus projetos e resolveu sair numa baladinha para relaxar e gastar as energias. Mas você ja imaginou como seria uma festa em que a sua energia virasse energia para o mundo?  Ela já existe e está em Londres e se chama Surya! Essa mágica acontece pelo fato de a pista de dança ser piezoelétrica  (feita de uma mistura de cerâmica com cristais de quartzo), que transforma os movimentos das pessoas em energia elétrica conseguindo gerar até 60% de toda a energia consumida pelo clube. E se a festa não estiver boa e a galera muito parada não irá ficar sem energia pois a Surya tem um sistema de captação de energia fotovoltaica e energia eólica.

   E tem mais novidades ecologicamente corretas, o local apresenta paredes com sensores de calor onde mudam de cor quando a casa está literalmente ‘fervendo’. Nos banheiros é utilizado a aguá da chuva e no bar só é servido bebidas orgânicas sem nenhum agrotóxico, e a bebida mais interessante da festa é uma espécie de ‘Biocerveja’ (Biobeer) . 

    Além de sua sustentabilidade a Surya chama atenção para seus ambientes também, concluindo que é possível fazer uma arquitetura sem danificar a natureza e bonita ao olhar humano, seguindo o estilo eco, com mesas de revistas e  todos os vidros, metais, plásticos e papéis são reciclados. 

    Para incentivar mais ainda os jovens, a entrada é gratuita para quem comprovar que chegou até o locar de bicicleta, andando ou de transporte público. E para quem vai de carro poluindo paga para entrar um preço de 10 libras. 

  Andrew Charalambous, criador do mascote da Fundação Club4Climate, idealizadora do bar verde, que tem objetivos de expandir essa ideia para cidades como:  Nova York, Cidade do Cabo e Rio de Janeiro. 

   Com o mesmo principio de captação de energia pelas placas piezoelétricas já estão sendo criadas academias, mas esse é um papo para outro dia. 

 

Car Bike Port

        Um carro, dez Bicicletas. Essa é a mensagem que essa estranha e inteligente escultura urbana quer passar usando de uma maneira bem-humorada a mensagem  que onde cabe um carro, cabem 10 bicicletas.  Essa ideia interessante é do arquiteto inglês Anthony Lau, que fez especialmente para o Festival de Arquitetura de Londres em 2010. O surgimento do Car Bike Port foi para solucionar a falta de espaço que havia no local pelo fato de o evento promover uma corrida de bicicletas.

         A inspiração veio de sinais de trânsitos criados na década de 60, e a peça que é de alumínio e pintada em cores vibrantes para ter um destaque na paisagem urbana. Pode ser móvel para ser usada em eventos bem como pode ser fixa.  Se adapta perfeitamente a vários tipos de bicicletas, por exemplo as femininas e as infantis que tem um design diferenciado.  Uma boa solução para a grande quantidade de furtos de bicicletas que ocorrem em Londres, pois a mesma pode ser facilmente presa com trancas em vários lugares dificultando a ação dos ladrões.

          De última hora o arquiteto resolveu acoplar ao Car Bike Port uma bomba para pneus, e ele também pode ser usado para ser suporte de publicidade.

Fonte: Revista AU

Entrando nesse clima de sustentabilidade e esporte é que  apresento a  vocês uma palestra que irá acontecer na PUC -PR dia 05/09