Apenas um desabafo…

tumblr_lrggk6HHnP1qf5re5o1_500_large

    Aconteceram algumas coisas ultimamente que me fizeram refletir sobre meu amor pela arquitetura, sobre o meu futuro na faculdade e o que eu ia fazer da vida agora. Tudo começou quando recebi a nota do projeto integrado, tiramos uma nota na média mas não o suficiente para me passar direto em Desenho de Observação II onde eu tinha tirado 6.2. Somando com o 7 minha média final fechou 6.6 e mesmo precisando tirar poucos pontos na prova final eu sabia de algum modo que estava reprovada. Mas não desanimei, sabia que a prova seria o desenho da biblioteca da PUC, portanto fiz vários desenhos antes.

    No dia da prova estava um calor de mais de 30º e tivemos que fazer os desenhos em condições subumanas , no calor e no sol… por mais que tivesse protetor solar, óculos escuros e chapéu o calor ainda estava insuportável  eu que tenho a pressão baixa quase passei mal, convenhamos fazer uma prova de desenho nessas condições pode não ser muito legal.

    A prova foi na segunda (10/12) e a nota sairia na quinta, data que eu estava com viajem marcada de volta para Videira, chegando aqui fui olhar a nota na sexta e vi que estava reprovada por apenas 4 décimos! Liguei imediatamente no SIGA para saber quanto tempo poderia recorrer, me disseram que era de 5 a 8 dias não me preocupei pois não teria que voltar imediatamente mas quando cheguei la para fazer o requerimento me disseram que era apenas 48 horas após a nota ter saído. Como ainda dava tempo, fiz o requerimento e esperei ser chamada para a revisão/reavaliação da prova que aconteceu na quinta feira….

    Porém não considero essa reavaliação certa pois não foi uma reavaliação, o professor não estava lá para ajudar, mas sim simplesmente para cuspir na sua cara todos os erros e como você não sabe desenhar. Me senti extremamente ofendida e humilhada com tudo o que tive que ouvir. Ouvi ironias da parte do professor quanto a eu chorar (pois estava muito nervosa e isso acontece quando eu choro)  ouvi coisas do tipo “aah que pena que não trouxe os lencinhos de papel hoje”, “com esse desenho você não passaria na federal” (Eu não quero passar na federal por isso estou na PUC) e vi que ele desconsidera totalmente tudo o que a pessoa faz durante o ano pois o que vale para ele é apenas aquele papel, aquele desenho que você pode ter feito ele num dia não muito bom, e numa situação inadequada.

    Eu admito que meu desenho não era digno de passar na federal, mas todo o esforço que tive durante o ano poderia ter sido considerado para esses 0,4 terem sido adicionados a minha para que não precisasse fazer mais 6 meses dessa matéria. A minha trajetória com o desenho não é de agora, já fiz um ano de aula com professor particular e mais um ano de aula no cursinho Positivo e eu não vou me conformar com isso. Não vou me conformar com as grosserias que tive que ouvir de um professor que não teria o direito nenhum de cobrar qualquer coisa da gente pois não nos foi ensinado, sua aula era basicamente isso: “olha aqui está um carro e agora vão lá fora e desenhem um carro” sem ao menos nos dar um caminho de como fazer, considero esse ano de desenho o mais improdutivo que tive.

Agora haverá uma banca com a coordenação do curso para discutir qual realmente será a minha nota pois não concordei com o que o professor falou. Não vou desistir do curso, estive prestes a ir la e cancelar a matricula e simplesmente voltar pra casa, mas eu sei que tenho coisas a fazer lá ainda e não vou deixar isso desanimar, se tiver que fazer de novo.. eu vou fazer porem com outro professor. Sei que muitos arquitetos foram rejeitados na faculdade e hoje tem seus legados deixados para serem estudados por todos os estudantes de arquitetura do mundo. Agora o sentimento que fica é de apenas dó daquelas pessoas que alimentam a sua felicidade com a tristeza dos outros pois aquele dia foram 3 “reavaliações” e as 3 meninas sairam chorando daquela sala, pois estavam diante de um ogro. Mas não vou deixar esse homem destruir meus sonhos por que é como minha mãe diz tudo o que você faz pras pessoas um dia volta pra você.

Documentação Residencial: Blood Rock Bar

    Olá meus arquitetos guerreiros! Eu sei que o blog ta parado, mas o motivo de ele estar assim é esse trabalhinho quase terminado e alguns outros também… Prometo que agora com o feriado vou dar uma adiantada em trabalhos e posts e vou começar me organizar. Mas deixamos de blá blá blá e vamos ao que interessa.

    Estamos fazendo esse trabalho para a matéria de Desenho de Observação, e o que deveríamos fazer era escolher qualquer casa da região metropolitana de Curitiba que a gente pudesse fotografar e depois fazer todo um estudo dela para montar no SketchUp e Desenhar. Fiquei meio em dúvida no começo pois moro no centro e não há muitas casas legais por aqui, dai a solução foi recorrer a um lugar que é praticamente a minha segunda casa em Curitiba, o Blood Rock Bar.

    O Blood é uma casa com mais de 100 anos que foi transformada num dos mais conhecidos bares de rock da cidade, com seu estilo diferenciado possui um design singular por fora e por dentro. Sua decoração basicamente é a casa em si que já da todo um ar exótico, cartazes de filmes de terror nas paredes e sofás e bancos com estampa de oncinha.

Quanto ao trabalho vamos dividir ele em partes:

Primeiro passo:  As fotos

    Apareci lá algumas vezes incomodando o pessoal pra conseguir que abrissem a casa só pra mim tirar as fotos, mas nunca dava certo pois o horário disponível era a tarde e esse é o período que estudo. Então o processo de fotos e análise dos detalhes foi feito por fora do portão (por isso as fotos quase todas iguais)  e o que me ajudou foi as vezes que fui lá, pois tenho a tendencia de sair analisando as edificações por ai, nem que seja numa festa.

Segundo passo:  Sketchup

   Esse eu achei que ia ser o mais difícil, por que na faculdade estamos aprendendo a usar esse programa apenas com tutoriais, essa foi a primeira vez que estávamos andando com nossas “próprias pernas”. Mas confesso que meu trabalho me surpreendeu e me fez perder o medo, mas também sei que o resultado poderia ser um pouquinho melhor pois tem coisas da casa que não consegui reproduzir direito.

Terceiro passo: Os desenhos

    Esse é o que falta fazer (por isso o quase pronto no começo do post) mas desenho é o que a gente faz todo dia e com o conhecimento dos detalhes da casa isso não será um problema. Então, preciso ainda fazer 3 desenhos da casa, esse tem que ser a mão livre, são duas elevações e uma perspectiva. (Quando eu terminar eles eu posto aqui também)  e sem esquecer de incluir os croquis feitos no local.

    Parece simples mas esse trabalhinho me custou um pouco de tempo quanto as idas no local e o Sketchup, mas agora tudo mais tranquilo pra entrega. Como atividade extra, fiz uma animaçãozinha e disponibilizei no YouTube. Detalhe, eu ainda não entreguei esse trabalho, vocês podem dar suas sujestões positivas e/ou negativas até o dia 21/10.

E por fim uma propagandinha sem fins lucrativos (haha).  Gostou do Blood e quer conhece-lo mais de perto?  Fique com o endereço dele e venha se divertir, afinal como diz o slogan da casa:

 “O ROCK’N’ROLL ESTÁ NO SANGUE”

Rua: Carlos Cavalcanti – 1212 – São Francisco – Curitiba PR

http://www.bloodrockbar.com.br