Arquiteto da Semana: Jean Nouvel

Jean Nouvel    O arquiteto escolhido dessa semana é o Jean Nouvel, vamos aprender um pouco mais sobre esse grande mestre? Ja falamos sobre algumas obras dele aqui e aqui

     Jean Nouvel, arquiteto francês nascido em 12 de agosto de 1945. Pelo fato de ser filho de professores sua família se mudou bastante, e seus pais o incentivavam a estudar matemática e linguagem, pois achavam que o caminho das engenharias era uma profissão mais segura que o caminho das artes, porém aos de 16 anos foi cativado pela arte quando um professor o ensinou a desenhar. Quando Nouvel falhou em um exame de entrada na École des Beaux-Arts de Bordeaux, se mudou para Paris, onde ele ganhou o primeiro prêmio em um concurso nacional para participar da École Nationale Supérieure des Beaux-Arts. De 1967 a 1970, Nouvel ganhou a vida como assistente dos arquitetos Claude Parent e Paul Virilio, que depois de apenas um ano fizeram dele um gerente de projeto responsável pela construção de um grande complexo de apartamentos.

     Nouvel ganhou fama internacional ao ganhar o concurso para o Institut du Monde Árabe (Instituto do Mundo Árabe) em Paris, cuja construção foi concluída em 1987. Ganhador do Prêmio Pritzker em 2008, em sua citação, o júri do prêmio observou: “Das muitas frases que podem ser usadas para descrever a carreira de arquiteto Jean Nouvel, acima de tudo são aqueles que enfatizam sua busca corajosa de novas ideias e de seu desafio das normas aceitas, a fim de esticar os limites do campo. […]” O júri reconheceu a “persistência, imaginação, exuberância, e, acima de tudo, um desejo insaciável de experimentação criativa”, como qualidades abundantes na obra de Nouvel.

    Requisitado por imponentes construtoras e marcas do mundo, Jean Nouvel continua em sua conquista do mapa-múndi, levantando simultaneamente um número impensável de edifícios calcados em suas linhas retas e, de alguma forma, orgânicas, que conversam com os olhos de quem cruza seus caminhos, atraindo interpretações futuristas quase ilusionarias, que despertam sonhos que viram realidade em um estalar de dedos. Cada edifício conta uma história uma vez que ele analisa suas condições dadas e decide que a melhor solução arquitetônica é, digamos, um arranha-céu sem base visível e ápice, ou uma fachada mecanizada geométrica que lança filigrana de sombras, e para ter um contrapeso a este processo cerebral ele acrescenta o amor sensual dos componentes e materiais de um edifício.

Obras: 

jean nouvel

    Este edifício compreende em um museu, espaços para exibições, uma biblioteca, um centro de documentação, um auditório, um restaurante e oficinas infantis. Apesar de ser uma construção da arquitetura contemporânea, empregou padrões típicos da arquitetura árabe, tais como percebemos na fachada sul em que a luminosidade do ambiente é regulada através de painéis com diafragmas, semelhantes aos das máquinas fotográficas.

torre agbar

    A Torre Agbar foi construída pelo Grupo Agbar e abriga sua sede. Como a água é o foco, a torre representa uma fonte de água que muda constantemente sua aparência. Dependendo da incidência da luz, a torre altera as suas cores – as chapas de alumínio de cor que reflete a luz é composta por 40 diferentes cores de alto brilho. Em frente a esta camada da parede é revestido com milhares de lâminas de vidro, que servem como um filtro solar e pode ser inclinadas em vários ângulos para garantir uma reflexão máxima de energia solar. O espaço entre as camadas de fachada permite uma circulação natural do ar no edifício.

Pavilhão da Serpentine Gallery

    Localizada no Kensington Gardens, junto ao Hyde Park, a Serpentine Gallery convida todos os anos um arquiteto de renome internacional para projetar seu pavilhão de verão, espaço usado para receber mostras, palestras e outros eventos. No ano de 2010 Nouvel desenhou uma estrutura leve, composta de materiais como aço, vidro e policarbonato, capaz de se converter em espaços versáteis, abertos e fechados para o exterior. Destaca-se a parede inclinada, sem apoios, de 12 m de altura. O vermelho intenso, ora opaco, ora transparente, remete aos ícones britânicos como as caixas se correio, os ônibus e as cabines telefônicas, e capta a atenção enquanto contrasta com o verde do parque.

Arquiteto da Semana: Norman Foster

norman foster    Com a parceria que fiz com o ArquiDoidera agora toda semana escrevo e estudo sobre um arquiteto diferente e nada melhor do que vir aqui e compartilhar com vocês no Arq. Delícia esse conhecimento, vamos aprender um pouco sobre Norman Foster? 

  Nascido em 01 de Junho de 1935 região de Stockport numa família de origem humilde teve que abandonar os estudos aos 16 anos de idade para trabalhar em Manchester City, apesar de se destacar nas escolas em que estudou e demonstrar certo interesse pela arquitetura de grandes mestres como Le Corbusier e Mies van der Rohe. Anos mais tarde Foster com 21 anos entrou na Universidade de Manchester no curso de Arquitetura e Urbanismo, formando-se em 1961, e retornou ao Reino Unido em 1962 como um dos maiores arquitetos da Europa.

    Fundou a Foster and Partners na década de 60 que tem um estilo de arquitetura arrojada e concretiza obras e restaurações dos prédios pertencentes aos órgãos do governo dos mais diferentes países. Hoje, mesmo as 77 anos de idade seu criador representa 85% das ações e diz que não pretende se aposentar mesmo com uma fortuna avaliada em 300 e 500 milhões de libras esterlinas

     Norman Foster é conhecido mundialmente por projetar com certa ousadia os principais edifícios da Europa e da Ásia e se destaca também a sua preocupação com o meio ambiente.   Tem seu trabalho reconhecido principalmente através dos 190 prêmios que foi condecorado, por exemplo, em 1997 e 1999 pela Rainha Elizabeth foi elevado a condição de Barão do Tamisa por mudar a paisagem urbana na cidade de Londres, ganhou o Prêmio Stirling duas vezes, e em 1999 um Pritzker. Também ganhou mais de 50 concursos nacionais e internacionais.

       Seus projetos consistem em edifícios notáveis e inovadores, projetos paisagísticos que causam grande transformação nas mais diversas cidades, utilizando de uma tecnologia com conceitos conscientes e ecológicos. Entre seus projetos mais recentes estão a reconstrução do Reichstag em Berlin, Museu de Artes Plásticas de Boston e o Hong Kong International Airport  maior terminal de aeroporto do mundo.

Obras: 

City Hall – Londres 

City Hall – Londres

    Este edifício é a sede da Greater London Authority (GLA), está situado em Southwark na margem do rio Tamisa e foi inaugurado em Julho de 2002. A volumetria do edifício é derivado de uma esfera que inclina-se para o sul, onde as placas fotovoltaicas são voltadas,  protegendo naturalmente da luz solar direta e intensa.

Ponte de Millau 

Ponte de Millau

A Ponte de Millau é considerada a ponte mais alta do mundo e percorre uma distancia de mais de 2 quilômetros de ponta a ponta. Com 342 metros de mastro feito de concreto abaixo de sua base, sua estrutura é basicamente de aço com concreto armado. Possui oito trechos que são suportados por cabos apoiados por sete pilares de concreto armado, o peso total da pista é de 36 mil toneladas e sua extensão chega a 2.460 m sendo que sua largura é de 32 metros.

30 St Mary Axe – Londres

7350834

    O destaque desse arranha-céu é uso do design e da tecnologia para reduzir custo e o impacto ambiental, o consumo de energia é até 40% menor que outros edifícios. Um dos sistemas que colaboram para isso são os 5500 painéis de vidro que servem de paredes externas aproveitam o máximo da luz solar e abrem automaticamente, aumentando o sistema de condicionamento de ar natural de acordo com o vento e com o sol. O edifício possui 41 andares e atinge 180 metros de altura.

Fiz um resuminho de algumas obras dele mas que provavelmente vão ter seu post exclusivo e completinho para elas :D 

Arquiteto da semana: Le Corbusier

        Para iniciar com grande estilo a série Arquiteto Da Semana,  onde será apresentado a vocês os mais diferentes tipos de arquitetos que estão espalhados e fazem ou fizeram história na arquitetura, começaremos com Le Corbusier que foi um grande arquiteto e seu nome já foi sitado em várias de nossas aulas, livros e internet, fique sabendo um pouco mais desse artista.

      Charles-Edouard Jeanneret, mais conhecido como Le Corbusier (1887-1965) foi arquiteto, urbanista e pintor francês e é considerado um dos mais importantes arquitetos do século XX.  Mas foi com as obras, Vila Savoy e Pavilão Suiço que o classificou como um dos mestres da arquitetura modera.  A Construção separada do solo por meio de pilotis (um conjunto de colunas que sustentam as edificações, deixando uma área livre pra circulação), o jardim passando por baixo da casa e o sistema de janelas horizontais são as características mais marcantes de Le Corbusier, que já aparece na arquitetura de Vila Savoy.

Villa Savoye – França

Imagem para melhor visualização e explicação de um Pilotis

           Após algum tempo, Le Corbusier abandonou o purismo geométrico do “estilo internacional” e a suas obras posteriores a guerra começaram a ter uma crescente preocupação quanto aos efeitos escultóricos. Assim como Unité d’Habitation que é um grande edifício que se assemelha a uma “caixa sobre estacas”. Mas o edifício mais revolucionário dos meados do século XX, é a igreja de Notre-Dame-du-Haut, localizada em Rinchamp no leste da França terminada em 1955 e consagrada no mesmo ano.

Notre-Dame-du-Haut

Interior

            Erguendo-se como uma fortaleza medieval, o jogo de curvas e contracurvas é bastante insistente, com formas simples e dinâmicas que parecem obedecer a uma força invisível e o telhado saliente sugere a aba de um enorme chapéu. As portas estão tão escondidas que é preciso procurá-las. No interior há um aspecto especificamente cristão, a luz filtrada por janelas de vitrais pequenas, quase imperceptíveis vistas do lado de fora. Le Corbusier, que nunca havia projeto nada religioso e mesmo sendo ateu, disse que ao ver o local não pode hesitar. Logo após a igreja de Notre-Dame-du-Haut, Corbusier projetou mais dois edifícios religiosos: o convento de Sainte-Marie-de-la-Tourette e a igreja de Saint-Pierre de Firminy.

        Já no urbanismo, Le Corbusier defendia que uma cidade moderna deve integrar perfeitamente sua arquitetura e sua urbanização. Ele propõem a separação dos centros residenciais dos setores administrativos e políticos, a reunião das áreas de lazer e artérias retilíneas para o tráfego. A cidade de Brasília foi concebida segundo as suas teorias.

         Nesse semestre estamos fazendo plantas e cortes da casa “Maison Minimum” projetada por Corbusier onde estamos a usando apenas para fins didáticos de como se deve enviar um projeto para ser aceito na prefeitura, mas isso é assunto para outro post.

Planta, corte e elevação da Maison Minimum

Espero sugestões de arquitetos que vocês tem curiosidade de conhecer porem preguicinha de procurar!!